Por Kylanvinck Santos

No dia 26 de novembro de 2008, Mumbai, a maior e mais importante cidade da Índia, viveu 72 horas de puro terror. Deixando uma marca de 195 vidas perdidas e mais de 300 pessoas feridas, o grupo islâmico Lashkar-e-Taiba executou doze ataques pela metrópole indiana – um deles concentrado no luxuoso hotel Taj Mahal Palace, famoso por hospedar ilustres celebridades de todas as partes do mundo.

O diretor Anthony Maras, já familiarizado com filmes que trazem conflitos e abordagens complexas, foi a escolha ideal para trazer ao público essa história que, baseada em um acontecimento real com dezenas de vidas perdidas, tem peso e mexe de forma única com o lado mais humano do público. Com o início do primeiro ato não deixando de abordar os outros pontos escolhidos pelo grupo terrorista, o filme não tarda a ganhar ritmo e focar no centro da trama localizada no hotel que carregada o título do longa.

Desde a fotografia esmaecida até a trilha sonora que muitas vezes traz um silêncio ensurdecedor, a preocupação com cada um dos personagens é constante. O discurso mantido pelos funcionários do hotel de que o “hóspede é Deus” é o ponto que a trama precisa para trazer os maiores nomes do filme que, apesar de conhecidos pelo grande público, dividem por inteiro o protagonismo com os demais personagens.

Dev Patel (“Lion: De Volta Para Casa”) entrega bem a difícil tarefa de interpretar o garçom Arjun, personagem real desse massacre, que tem carisma, heroísmo e um coração enorme, sem desrespeitar as nuances desse acontecimento trágico. Não menos importante, Armie Hammer (“Me Chame Pelo Seu Nome”) e Nazanin Boniadi (“How I Met Your Mother”) carregam um núcleo dramático envolvendo a busca por seu bebê recém-nascido e a desesperadora procura por segurança com um grupo de funcionários e hóspedes liderados pelo renomado chefe de cozinha Hemant Oberoi (Anupam Kher).

A análise personificada do pré-conceito também é posto em pauta aqui. Os dogmas e costumes de alguns personagens são por desespero, questionados por outros. Essa intenção de fazer sentir e pensar também viaja pela voz que comanda o grupo de terroristas, passada através de um rádio comunicador. Ela vem acompanhada por um discurso motivador que cada um dos integrantes do massacre carrega com afinco. E apesar da semelhança física entre os atiradores, os rostos marcam e as personalidades motivadas única e exclusivamente por ódio, fazem uma diferenciação ao temer cada um deles.

“Atentado ao Hotel Taj Mahal” é um ótimo thriller sobre uma tragédia da história contemporânea, prende do começo ao fim e raramente deixa o ritmo cair, mas exige preparo para a montagem de horror que é apresentada.

Ficha Técnica

Ano: 2019

Duração: 123 min

Gênero: drama, suspense

Direção: Anthony Maras

Elenco: Dev Patel, Armie Hammer, Nazanin Boniadi

Trailer:

Imagens:

Avaliação do Filme

Veja Também:

Cidade Perdida

Por Luciana Ramos   Loretta Sage (Sandra Bullock) é uma romancista de sucesso, tendo criado uma franquia de aventura em...

LEIA MAIS

Downton Abbey II: Uma Nova Era

Por Luciana Ramos   No farfalhar dos sinos, a equipe de funcionários se agita, tentando descobrir qual membro da família...

LEIA MAIS

Medida Provisória

Por Luciana Ramos Ao longo de mais de duas décadas de devoção à arte, Lázaro Ramos entregou-se aos mais variados...

LEIA MAIS