Kevin Tsujihara, CEO da divisão audiovisual da Warner Media, parte do conglomerado da empresa At&T, renunciou ao cargo após vinte anos trabalhando no estúdio. O motivo provém de acusações de que ele abusou do poder que tinha ao forçar a escalação de uma atriz com quem mantinha relações sexuais em filmes e programas de televisão da organização.

A história foi originalmente denunciada pelo Hollywood Reporter, que conseguiu acesso a mensagens trocadas entre Tsujihara (que é casado) e Charlotte Kirk que atestavam a troca de influências por favores sexuais.  

Em nota aos funcionários da Warner, o executivo declarou: “Na última semana e meia, refleti sobre a atenção concedida a ações do meu passado e o impacto destas no futuro da empresa. Depois de grande introspecção e discussão do assunto com John Stankey (chefe-executivo da Warner Media), decidimos que é melhor para a Warner Bros. que eu deixe o cargo de CEO”.

Sobre o caso, a empresa declarou que as investigações continuarão mesmo após a saída de Tsujihara.  

Veja Também:

No Ritmo do Coração é o grande vencedor do Oscar 2022; confira a lista completa

O Oscar 2022 chegou marcado por polêmicas, frutos da reformulação da premiação a fim de tentar recuperar índices de audiência....

LEIA MAIS

Como o som de “Duna” foi feito

Ao assistirmos um filme, nem imaginamos o gigantesco trabalho de inúmeros profissionais para construir um arcabouço imagético e sonoro que...

LEIA MAIS

Ataque dos Cães e Belfast conquistam prêmios principais do Bafta 2022

Após a realização de uma edição totalmente virtual em 2021, o Bafta, maior premiação de cinema do Reino Unido, retornou...

LEIA MAIS