A Mostra Internacional de Cinema SP realiza entre hoje, 21 de outubro, e o dia 03 de novembro de 2021 a sua 45ª edição com produções premiadas de diversos países e um olhar específico para temas sociais pertinentes, como o drama de refugiados afegãos, a nova configuração de trabalho escravo, o impacto da pandemia nas mais diferentes culturas e as lutas por direitos das pessoas trans.

Após a ausência imposta pela pandemia do Coronavírus dos cinemas em 2020, quando realizou uma versão online, a Mostra retorna com todos os cuidados às salas, reiterando sua contribuição para manutenção do cinema como arte pulsante – sendo sua própria realização em um panorama político tão desfavorável um ato de resistência.

Durante duas semanas, as seções Perspectiva Internacional, Competição Novos Diretores e Mostra Brasil vão apresentar 264 títulos de vários países em circuito de salas de cinemas da cidade de São Paulo. Devido à suspensão das restrições de assentos pela prefeitura, coube a cada um dos cinemas impor critérios para sua capacidade. Vão trabalhar com a capacidade de 100%: CCSP – Centro Cultural São Paulo, Biblioteca Roberto Santos e Petra Belas Artes. Continuam com 50% de capacidade e distanciamento entre as cadeiras: Cinesala, Cine Marquise, CineSesc, Espaço Itaú de Cinema e Reserva Cultural. Lembrando que todas as sessões presenciais da Mostra seguirão os protocolos de segurança contra a Covid-19.

Também haverá sessões gratuitas no Vão Livre do Masp, Vale do Anhangabaú, Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso e Centro Cultural Tiradentes, e com valores promocionais no circuito Spcine (Centro Cultural São Paulo e Biblioteca Roberto Santos) e no Museu da Imigração.

Para os ainda apreensivos em frequentar tais ambientes, há outra possibilidade: as sessões virtuais, que ocorrerão nas plataformas Sesc Digital, Itaú Cultural Play e Mostra Play. Serão disponibilizados 157 títulos da seleção total de 265 curtas, médias e longas-metragens. Estão de fora desta opção obras muito esperadas, como “A Crônica Francesa”, “Noite Passada no Soho”, “A Voz Humana” e “Memória”, o que não deixa de ser desapontador.  

O prêmio Leon Cakoff pela contribuição para a sétima arte irá para Helena Ignez, expoente do Cinema Novo e uma das diretoras mais autorais que o Brasil já produziu. A arte deste ano é de Ziraldo e foi concedida pela família do artista. Em complemento, a Mostra exibirá dois documentários: “Ziraldo – Era Uma Vez Um Menino”, de Fabrizia Pinto, e “Ziraldo – Uma Obra Que Pede Socorro”, de Guga Dannemann.

Outros destaques dessa edição são: “A Ilha de Bergman”, de Mia Hansen-Love; “Deserto Particular”, de Aly Muritiba; “A Viagem de Pedro”, de Laís Bodansky; “Annette”, de Leos Carax; “Jane por Charlotte”, de Charlotte Gainsbourg; “Marinheiro das Montanhas”, de Karim Ainouz; “Titane”, de Julia Ducournau; “Transversais”, de Émerson Maranhão e “7 Prisioneiros”, de Alexandre Moratto.

 

Confira a programação completa e informações detalhadas sobre as sessões presenciais e online acessando ao site www.mostra.org

 

Veja Também:

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo divulga premiados da 45ª edição

Durante duas semanas, aficionados pela sétima arte puderam conferir uma seleção de mais de 200 filmes de diversas nacionalidades e...

LEIA MAIS

Marvel processa criadores para reter controle de seus personagens

A Marvel entrou com uma série de processos contra criadores de seus personagens mais famosos ou as fundações que cuidam...

LEIA MAIS

The Crown, O Gambito da Rainha e Ted Lasso são os destaques do Emmy 2021; confira a lista de vencedores

Após apelar para o formato online em 2020, o Emmy 2021 retornou em grande estilo: em uma festa sem máscaras...

LEIA MAIS