O diretor-fundador do É Tudo Verdade, Amir Labaki, apresentou em coletiva virtual a seleção da 26ª edição do festival internacional de documentários. Em 2020, a sua realização teve que se reinventar por conta da pandemia do Coronavírus, apostando em um formato híbrido, online e presencial – com utilização de cine drive-ins como palcos para apresentações especiais. A aposta era que até o final do ano o número de casos cedesse o suficiente para uma edição especial nos cinemas, o que não se concretizou. O endurecimento da pandemia, que acarretou o fechamento de cinemas por todo o país, conduziu o É Tudo Verdade mais uma vez ao espaço digital, agora de maneira exclusiva.

Entre os dias 08 e 18 de abril, cinéfilos de todo o Brasil poderão assistir a 69 títulos de 23 países, além do acesso a master classes e debates disponibilizados entre as plataformas Looke, Itaú Cultural, Sesc em Casa, Spcine Play e o canal oficial de YouTube do festival.

O aclamado “Fuga”, vencedor do prêmio de Melhor Documentário no Festival de Sundance 2021, foi escolhido para abrir o festival. Dirigido por Jonas Poher Rasmussen, o filme conta a jornada de Amin Nawabi (pseudônimo), um intelectual em luta com o peso de um segredo doloroso que ameaça desestabilizar a vida que construiu para si e para o futuro marido. Já “A Última Floresta”, de Luiz Bolognesi (diretor de “Ex-Pajé”) irá encerrá-lo. O filme segue o xamã Davi Kopenawa Yanomami, que tenta manter vivos os espíritos e as tradições de sua tribo enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade.

Os filmes vencedores dos prêmios dos júris nas Competições Brasileiras e Internacionais de Longas/ Médias-Metragens e de curtas-metragens estarão automaticamente classificados para apreciação à disputa pelo Oscar do ano que vem. A cerimônia de premiação acontecerá às 17h do dia 18 de abril no YouTube do É Tudo Verdade.

Sobre a importância da manutenção do projeto em tempos tão adversos, Labaki sustenta que o gênero não foi freado pela emergência sanitária, mas se debruçou sobre o tema para tecer registros históricos e reflexões: “Alguns olhares inesquecíveis sobre este período cruel já marcam a seleção deste ano. É também extraordinário o vigor da produção brasileira, numa conjuntura tão adversa. Uma nova safra nacional e internacional pede passagem e merece toda atenção. Mesmo inviabilizado em seu formato convivial, o É Tudo Verdade, ao lado de seus parceiros, tem a honra de apresentá-la num festival digital com o mesmo padrão de excelência de suas edições presenciais”.

A programação completa e os links das exibições estarão disponíveis no website www.etudoverdade.com.br.

Veja Também:

No Ritmo do Coração é o grande vencedor do Oscar 2022; confira a lista completa

O Oscar 2022 chegou marcado por polêmicas, frutos da reformulação da premiação a fim de tentar recuperar índices de audiência....

LEIA MAIS

Como o som de “Duna” foi feito

Ao assistirmos um filme, nem imaginamos o gigantesco trabalho de inúmeros profissionais para construir um arcabouço imagético e sonoro que...

LEIA MAIS

Ataque dos Cães e Belfast conquistam prêmios principais do Bafta 2022

Após a realização de uma edição totalmente virtual em 2021, o Bafta, maior premiação de cinema do Reino Unido, retornou...

LEIA MAIS