A diretora Gabriela Amaral Almeida e o ator Julio Machado sentaram-se com a imprensa para discutir referências e o processo de construção dos personagens do filme “A Sombra do Pai”. A obra, segundo longa da diretora, explora a questão do luto e da paternidade através da relação entre o pedreiro Jorge e sua filha, a pequena Dalva , que vive com a tia desde a morte da mãe. Contando com uma atmosfera etérea e até certo ponto sombria, pautada no silêncio e na contemplação, o filme estabelece com o espectador uma ponte conectiva com todo o arsenal cultural e, mais do que isso, emocional, que Gabriela obteve a longo de sua relação com o cinema.

Quando perguntada sobre suas inspirações para seu novo longa, Gabriela iniciou sua resposta justamente rompendo com as expectativas usuais para esse tipo de pergunta, dizendo que, assim como o ator Murilo Benício havia dito em uma entrevista anterior, não existe referência para o artista: o que existe é um misto de sentimentos, de emoções, que levam o criador a entrar em contato com a criação, como se fosse um mergulho no passado que formou a bagagem cultural e a experiência de vida de um diretor, ator ou roteirista no momento da composição de sua obra. 

Essas memórias, que pulsam nas veias do artista e o impulsionam a criar, podem vir de filmes, livros, pinturas e mesmo situações vividas direta ou indiretamente por ele que são resgatadas quando a “semente” da obra começa a ser plantada. Neste contexto, a primeira grande influência citada foi “O Espírito da Colmeia”, do espanhol Victor Erice, que narra as experiências de uma garotinha na Espanha da Era Franco tentando superar e entender a questão da morte. Segundo ela, muito da fantasmagoria de “A Sombra do Pai” e a “assombração” do filme de Erice está presente em sua obra. Ela então ressalta que, em seu filme, toda a parte técnica (da composição da mise-en-scène à produção e escolha do figurino) vai em direção a respostas do enigma que o filme tenta desvendar, que vem em forma de pergunta: qual a duração do pai e da mãe na nossa vida? Até que ponto os nossos vínculos são mantidos?

Júlio Machado como Jorge em “A Sombra do Pai”

Quando perguntado sobre a composição da personalidade de Jorge, o ator Julio Machado diz ter se pautado no “dossiê” de particularidades apresentado pela diretora,  que incluía citações de livros, filmes, músicas e diversas outras inclinações culturais e relacionadas à fisicalidade do personagem, como ele se comportaria enquanto pai e enquanto homem no cenário apresentado pelo filme. Ambos os entrevistados ressaltaram que a maior preocupação na composição estava em como falar do homem brasileiro contemporâneo metaforicamente através daquela pessoa, transmitindo sensações e uma imagem límpida de um arquétipo pré-estabelecido.

Muito presente no filme, a paternidade de Jorge o coloca entre um limiar entre um monstro e um “homem do bem”, como um legítimo Frankenstein, como frisou a própria Gabriela. Vivendo de baixa renda, ele é um personagem do qual foi privado o “sentir”, um alguém que tem a maldade e a bondade intactas dentro de si, mas que é um produto do sistema opressor em que vive.

Quando perguntada sobre o futuro do terror e sobre a construção de uma atmosfera através da trilha sonora (fator de presença constante em sua obra), a diretora ressaltou que, em seus trabalhos, a música acompanha a montagem e jamais vem depois dela, porque o som serve como ancoragem para o brasileiro aprofundar sua imersão no gênero. 

Ciente de que é uma representante de nicho, Gabriela demonstra personalidade em suas respostas e perseverança nas atitudes, sabendo que já enfrentou e enfrentará muitos questionamentos sobre suas escolhas profissionais. Seu maior interesse reside em contar história, em mostrar para as pessoas a que veio ao mundo e compartilhar um pouco de suas opiniões, de suas questões pessoais com um público que possa desconstruir seus próprios paradigmas e se entregar ao tipo de cinema que ela propõe.

Confira a nossa crítica de “A Sombra do Pai”

Veja Também:

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo divulga premiados da 45ª edição

Durante duas semanas, aficionados pela sétima arte puderam conferir uma seleção de mais de 200 filmes de diversas nacionalidades e...

LEIA MAIS

Começa hoje em formato híbrido a 45ª Mostra Internacional de Cinema SP

A Mostra Internacional de Cinema SP realiza entre hoje, 21 de outubro, e o dia 03 de novembro de 2021...

LEIA MAIS

Marvel processa criadores para reter controle de seus personagens

A Marvel entrou com uma série de processos contra criadores de seus personagens mais famosos ou as fundações que cuidam...

LEIA MAIS