“Mad Max: A Estrada da Fúria” faturou mais de U$500mi ao redor do mundo, além de garantir apreço crítico, o que culminou na indicação para dez Óscares, tendo ganhado seis. Com isso, muito se especulou sobre mais uma possível sequência da franquia. Porém, a relação estremecida entre o diretor George Miller e a Warner Bros. pode ter contribuído para o engavetamento (temporário) do projeto.

 

Isso deve-se à ação legal movida pela produtora comandada por Miller, Kennedy Miller Mitchell, contra o estúdio por pagamentos residuais não efetuados. Segundo o diretor relatou para o Sydney Morning Herald, por diversas vezes a sua empresa entrou em contato para cobrar o repasse de valores obtidos em bilheterias e na distribuição por outras mídias, como os DVDs e plataformas VODs.

 

A argumentação de Miller consiste no peso financeiro que um projeto como esse impõe: “Mad Max: A Estrada da Fúria” levou dez anos para chegar às telas e, durante esse período, um investimento altíssimo foi feito. Por isso, o normal e esperado era obter o retorno financeiro acordado com os lucros do filme o que, segundo ele, foi negligenciado.

 

Na entrevista, ele completa dizendo: “preferiríamos muito mais fazer um outro filme com a Warner Bros. do que processá-los, mas, depois de tentar por um ano, não obtivemos uma resolução satisfatória e precisamos recorrer a um processo judicial para resolver o problema”. O estúdio, por sua vez, declarou que “discordam e vão lutar veementemente nos tribunais contra essas acusações”.

 

Veja Também:

Succession e The Last of Us lideram indicações ao Emmy 2023

Foram anunciados nesta quarta-feira, dia 12 de julho, em cerimônia virtual os indicados a 75ª edição do Emmy. A lista...

LEIA MAIS

Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo lidera indicados ao Oscar 2023; confira a lista completa

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou nesta terça-feira, dia 24 de janeiro, os indicados à 95ª edição do...

LEIA MAIS

“Os Fabelmas” e “Os Banshees de Inisherin” são os grandes vencedores do Globo de Ouro 2023

Após dois anos conturbados, com acusações de má conduta,  falta de transparência nas votações, problemas com diversidade e suspensão do...

LEIA MAIS