Principal evento dedicado à cultura do filme não-ficcional na América Latina, o É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários divulgou na noite deste domingo, 4 de outubro, os vencedores da sua 25ª edição. O festival neste ano foi divido em duas etapas online (via streaming) e exibiu um total de 61 longas e curtas-metragens em competição e hors-concours, de forma gratuita e acessível em todo o território brasileiro.

Reconhecido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA como um festival classificatório para o Oscar®, o evento qualifica automaticamente as produções vencedoras nas competições brasileira e internacional de Longas/Médias-Metragens e de Curtas-Metragens para inscrição direta visando a disputa dos Oscars® para melhor documentário de longa-metragem e de documentário de curta-metragem.

Dirigido pelo estreante Diógenes Muniz, “Libelu – Abaixo a Ditadura” foi eleito como vencedor da Competição Brasileira de Longas ou Médias-Metragens e recebeu R$ 20.000,00 e Troféu É Tudo Verdade. O filme focaliza uma tendência estudantil universitária surgida em 1976 que, impulsionada por uma organização clandestina, ganhou fama por ser o primeiro a retomar o mote “abaixo a ditadura” enquanto o AI-5 ainda vigorava.

O prêmio de melhor curta-metragem brasileiro foi para “Filhas de Lavadeiras”, de Edileuza Penha de Souza. Narrando histórias de mulheres negras que, graças ao trabalho árduo de suas mães, puderam ir para a escola e refazer os caminhos trilhados por suas antecessoras, a obra recebeu R$ 6.000,00 e o Troféu É Tudo Verdade.

Já na Competição Internacional de Longas ou Médias-Metragens o vencedor foi “Colectiv”, dirigido por Alexander Nanau. O filme aborda a corrupção no sistema de saúde da Romênia e recebeu R$ 12.000 e o Troféu É Tudo Verdade.

Collective, vencedor na categoria Melhor Documentário Estrangeiro

O polonês “Meu País Tão Lindo”, de Grzegorz Paprzycki, foi eleito o melhor curta-metragem internacional e fez jus a R$ 6.000,00 e o Troféu É Tudo Verdade.  O filme confronta duas forças que representam visões de mundo completamente diferentes: a perspectiva esquerdista de país contra a Polônia homogeneizada construída pela extrema direita.

Os longas-metragens vencedores das competições brasileira e internacional ganharão exibição presencial no Rio de Janeiro em salas do Grupo Estação, assim que elas foram reabertas.

 

Na cerimônia também foram anunciados os seguintes prêmios paralelos:

– Prêmio Aquisição Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem, para o filme brasileiro “Filhas de Lavadeiras”, de Edileuza Penha de Souza, que recebeu R$ 15.000,00 e Troféu Canal Brasil;

– Prêmio EDT (Associação de Profissionais de Edição Audiovisual), para a melhor montagem de um curta e um longa-metragem, concedidos, respectivamente, para “Metroréquiem”, montado por Adalberto Oliveira, e para “A Ponte de Bambu”, com montagem assinada por André Finotti e Raimo Benedetti.

 – Prêmio Mistika, no valor de R$ 8.000,00 em serviços de pós-produção digital, anunciado junto ao prêmio oficial de melhor curta-metragem brasileiro.

A 26ª edição do “É Tudo Verdade” ocorrerá entre 8 e 18 de abril de 2021 e as inscrições já estão abertas no site oficial.

Veja Também:

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo divulga premiados da 45ª edição

Durante duas semanas, aficionados pela sétima arte puderam conferir uma seleção de mais de 200 filmes de diversas nacionalidades e...

LEIA MAIS

Começa hoje em formato híbrido a 45ª Mostra Internacional de Cinema SP

A Mostra Internacional de Cinema SP realiza entre hoje, 21 de outubro, e o dia 03 de novembro de 2021...

LEIA MAIS

Marvel processa criadores para reter controle de seus personagens

A Marvel entrou com uma série de processos contra criadores de seus personagens mais famosos ou as fundações que cuidam...

LEIA MAIS