Com característica trilha sonora jazzística e coreografias tão complicadas quanto originais, Bob Fosse revolucionou a Broadway e, posteriormente, Hollywood, com “Cabaret”, “Sweet Charity” e o autobiográfico “O Show tem que Continuar”. Pouco se fala, no entanto, da sua esposa e colaboradora Gwen Verdon, responsável pelo molde das danças de Fosse. A minissérie da FX “Fosse/Verdon” se propõe a olhar mais apuradamente essa parceria, dando o devido crédito à dançarina na concepção artística de importantes obras, como “Chicago”. Michelle Williams e um transformado Sam Rockwell interpretam os papéis principais. Produzida pelo prodígio da Broadway Lin-Manuel Miranda, a minissérie estreará em abril nos Estados Unidos, mas permanece sem data de exibição no Brasil.

 

“Boneca Russa” parte do conceito de repetição de “Feitiço do Tempo” para explorar a jornada de uma mulher que morre recorrentemente – apenas para voltar ao tempo anterior, quando se preparava para uma festa. Suas tentativas infelizes de escapar da morte a fazem questionar o porquê desse loop temporal, até ela encontrar outra pessoa presa na mesma situação. Com Natasha Lyonne (“Orange is the New Black”) no papel principal e na função de produtora, que divide com Amy Poehler (“Parks & Recreation”) e Leslye Headland, “Boneca Russa” será disponibilizada na Netflix em 01 de fevereiro.

 

A Netflix também lançou o trailer de “Polar”, filme baseado na HQ de sucesso do espanhol Victor Santos. Madds Mikkelsen interpreta um assassino profissional que decidiu se aposentar. Seu ex-chefe, no entanto, decide eliminá-lo por ele saber demais, seduzindo um grupo de jovens assassinos à tarefa em troca de uma grande soma em dinheiro. Dirigido por Jonas Ăkerlund e com Vanessa Hudges, Richard Dreyfuss e Johnny Knoxville no elenco, o longa será disponibilizado no dia 25 de janeiro.

 

Ainda da mesma plataforma, há o trailer de “Velvet Buzzsaw”, novo filme de Dan Gilroy (“O Abutre”). Jake Gyllenhaal e Rene Russo retornam para mais uma parceria com o diretor, que decide explorar o mundo da arte através de uma sátira de horror, onde quadros de um misterioso pintor ganham vida e assassinam aqueles que os usurpam. Com Toni Colette e John Malkovich no elenco, o filme será disponibilizado no dia 01 de fevereiro.

 

Bing Liu cresceu andando de skate com os amigos pelas ruas da cidadezinha Rust Bell. Todo o material acumulado o fez pensar em transformar as histórias dessas pessoas em um documentário, que acabou se voltando para o ponto em comum ao passado de todos (incluindo o do documentarista): a violência paterna, seja por abuso físico ou sexual. Desde a primeira exibição no Festival de Sundance, “Minding the Gap” tem conquistado inúmeros prêmios e se firmado como um dos possíveis candidatos a uma indicação ao Oscar. Exibido na plataforma Hulu, ele continua inédito no Brasil.

 

 

Veja Também:

No Ritmo do Coração é o grande vencedor do Oscar 2022; confira a lista completa

O Oscar 2022 chegou marcado por polêmicas, frutos da reformulação da premiação a fim de tentar recuperar índices de audiência....

LEIA MAIS

Como o som de “Duna” foi feito

Ao assistirmos um filme, nem imaginamos o gigantesco trabalho de inúmeros profissionais para construir um arcabouço imagético e sonoro que...

LEIA MAIS

Ataque dos Cães e Belfast conquistam prêmios principais do Bafta 2022

Após a realização de uma edição totalmente virtual em 2021, o Bafta, maior premiação de cinema do Reino Unido, retornou...

LEIA MAIS