O último ano impôs inúmeros desafios não só aos lançamentos de filmes como também às premiações dedicadas a eles. Após o Emmy, que apresentou um frescor bem-humorado em formato remoto, com direito a pessoas em trajes de bolhas e caixas com estatuetas, as indústrias cinematográfica e televisiva dos Estados Unidos pareciam ter caído no marasmo de interações virtuais enfadonhas.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas se recusou ao já tradicional Zoom e a informalidade dos moletons e salas mal arrumadas dos convidados, se apegando ao glamour comum ao evento para a promoção de uma edição do Oscar especial. Ajudada com a vacinação acelerada em solo americano, baniu máscaras em frente às câmeras (obrigatória para circulação e nos demais momentos) e investiu altíssimo em uma superprodução televisiva, com mini sedes ao redor do mundo – Austrália, França, Londes, Irlanda, Coreia do Sul – e uma super cenografia em uma estação de metrô em Los Angeles, onde ocorreu o tapete vermelho – segmentado e com entrevistas conduzidas à distância.

As mesas espalhadas continham pequenos abajures com as estatuetas, refletores de luz e tablets para que os convidados pudessem acompanhar a cerimônia, além de gruas e X, dirigidos pelo cineasta Steven Soderbergh. Parecia demasiadamente ambicioso, mas a Academia conseguiu o seu objetivo e a produção mostrou-se sofisticada e muito mais interessante do que nos últimos anos, embora não tenha conseguido eliminar os discursos longos. A premiação foi tratada como evento televisivo também pelas distribuidoras, que promoveram trailers nos seus intervalos comerciais, caso de “Nine Perfect Strangers”, série da HULU, e a refilmagem de “Amor, Sublime Amor”, de Steven Spielberg.

Os convidados reiteraram inúmeras vezes o amor pelo cinema e a narrativa de sonho hollywoodiano, contando o longo processo dos indicados do primeiro emprego ao reconhecimento. O Oscar foi democrático, espalhando estatuetas a maioria dos filmes indicados. Foi, também uma noite de recordes: a primeira equipe negra a ganhar Melhor Cabelo e Maquiagem por “A Voz Suprema do Blues”, a segunda pessoa asiática a ganhar um prêmio de atuação (Yuh-Jung Youn, Melhor Atriz Coadjuvante por “Minari”) e também a primeira mulher asiática a ganhar Melhor Direção – e segunda mulher da história. Em seu belíssimo discurso, Chloé Zhao acenou para a bondade humana e aqueles que se permanecem firmes ao princípio mesmo em adversidades. Já Thomas Vinterberg, ao ganhar Melhor Filme Internacional por “Druk: Mais Uma Rodada”, dedicou a estatueta à sua filha Ida, que faleceu tragicamente em um acidente de carro nos inícios das filmagens.    

As categorias mais surpreendentes foram as de atuação, com Frances McDormand e Anthony Hopkins ganhando como Melhor Ator e Melhor Atriz. Chadwick Boseman, que era favorito para ser premiado, um aceno à sua contribuição a Hollywood, foi preterido pela fantástica performance do ator galês em “Meu Pai”. Consagrado em três categorias, “Nomadland” foi o grande vencedor do Oscar 2021.

Confira a lista completa de ganhadores abaixo

Melhor Filme

Meu Pai

Judas e o Messias Negro

Mank

Minari

Nomadland

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago

Melhor Ator

Riz Ahmed – O Som do Silêncio

Chadwick Boseman – A Voz Suprema do Blues

Anthony Hopkins – Meu Pai

Gary Oldman – Mank

Steven Yeun – Minari

Melhor Ator Coadjuvante

Sacha Baron Cohen – Os 7 de Chicago

Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro

Leslie Odom Jr. – Uma Noite em Miami…

Paul Raci – O Som do Silêncio

Lakeith Stanfield – Judas e o Messias Negros

Melhor Atriz

Viola Davis – A Voz Suprema do Blues

Andra Day – Os EUA vs Billie Holiday

Vanessa Kirby – Pieces of a Woman

Frances McDormand – Nomadland

Carey Mulligan – Bela Vingança

 

Melhor Atriz Coadjuvante

Maria Bakalova – Borat: Fita de Cinema Seguinte

Glenn Close – Era Uma Vez um Sonho

Olivia Colman – Meu Pai

Amanda Seyfried – Mank

Yuh-Jung Youn – Minari

Melhor Animação

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica

A Caminho da Lua

Shaun, O Carneiro: A Fazenda Contra-ataca

Soul

Wolfmakers

 

Melhor Fotografia

Judas e o Messias Negro

Mank

Relatos do Mundo

Nomadland

Os 7 de Chicago

Melhor Figurino

Emma

A Voz Suprema do Blues

Mank

Mulan

Pinnochio

Melhor Direção

Druk: Mais Uma Rodada

Mank

Minari

Nomadland

Bela Vingança

Melhor Documentário

Collective

Crip Camp: Revolução pela Inclusão

O Agente Duplo

Professor Polvo

Time

Melhor Documentário (curta)

Colette

A Concerto is a Conversation

Do Not Split

Hunger Ward

A Love Song for Latasha

 

Melhor Edição

Meu Pai

Nomadland

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago

Melhor Filme Internacional

Druk: Mais Uma Rodada

Better Days

Quo Vadis, Aida?

Collective

O.Homem.Que.Vendeu.Sua.Pele

 

Maquiagem e Cabelo

Emma

Era Uma Vez um Sonho

A Voz Suprema do Blues

Mank

Pinnochio

Melhor Trilha Sonora

Destacamento Blood

Mank

Minari

Relatos do Mundo

Soul

Melhor Canção Original

Fight For You, de Judas e o Messias Negro

Hear my Voice, de Os 7 de Chicago

Husavik, de Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars

Io Sì (Seen), de Rosa e Momo

Speak Now, de Uma Noite em Miami

Melhor Design de Produção

Meu Pai

A Voz Suprema do Blues

Mank

Relatos do Mundo

Tenet

Curta-Metragem de Animação

Burrow

Genius Loci

If Anything Happens I Love You

Opera

Yes,People

Curta-Metragem live-action

Feeling Through

The Letter Room

The Present

Two Distant Strangers

White Eye

Melhor Som

Greyhound: Na Mira do Inimigo

Mank

Relatos do Mundo

Soul

O Som do Silêncio

Efeitos Visuais

Amor e Monstros

O Céu da Meia-Noite

Mulan

O Grande Ivan

Tenet

Melhor Roteiro Adaptado

Borat: Fita de Cinema Seguinte

Meu Pai

Nomadland

Uma Noite em Miami…

O Tigre Branco

Melhor Roteiro Original

Judas e o Messias Negro

Minari

Bela Vingança

O Som do Silêncio

Os 7 de Chicago

Veja Também:

Mostra Internacional de Cinema em São Paulo divulga premiados da 45ª edição

Durante duas semanas, aficionados pela sétima arte puderam conferir uma seleção de mais de 200 filmes de diversas nacionalidades e...

LEIA MAIS

Começa hoje em formato híbrido a 45ª Mostra Internacional de Cinema SP

A Mostra Internacional de Cinema SP realiza entre hoje, 21 de outubro, e o dia 03 de novembro de 2021...

LEIA MAIS

Marvel processa criadores para reter controle de seus personagens

A Marvel entrou com uma série de processos contra criadores de seus personagens mais famosos ou as fundações que cuidam...

LEIA MAIS