Lançada em 2011, a Sessão Vitrine é uma importante iniciativa da Vitrine Filmes que tem no seu cerne a promessa de construção de um público para o cinema nacional. Ao longo de suas quatro edições, ela se mostrou vital para a distribuição de filmes pequenos, autorais e/ou pouco comerciais, oferecendo visibilidade a obras como “Divinas Divas”, “Baronesa”, “Severina”, “Tinta Bruta”, entre outros.

Dentre as principais vantagens para os realizadores, estava a promessa de exibição dos longas em pelo menos vinte cidades pelo período mínimo de 15 dias – superior ao molde autofágico das grandes redes de cinema, que sempre privilegiam a produção internacional. O público, por sua vez, tinha a possibilidade de assistir a obras variadas em narrativas e estilos a preços acessíveis, construindo, assim, um repertório vasto da produção audiovisual brasileira.

No início de 2019, no entanto, a iniciativa sofreu um grande baque com a retirada de investimentos da Petrobrás, sua grande financiadora. Poucos meses depois, a Vitrine Filmes anunciou novas parcerias e uma repaginação no modelo da Sessão Vitrine que, tendo em vista a situação da cultura no país, se vê mais importante do que nunca.

A edição de 2019 começa dia 11 de julho com o lançamento do longa-metragem “Estou me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar”, de Marcelo Gomes (“Cinema, Aspirinas e Urubus”), que será o primeiro de dez produções, que inclui uma rodada de curtas-metragens. A estratégia comercial da distribuidora segue o molde anterior, com um lançamento inédito por mês, contando com sessões especiais de debates. A novidade principal fica por conta da parceria com a Sofá Digital, maior agregadora de VOD (video on demand) da América Latina, que disponibilizará os títulos simultaneamente para compra e locação em plataformas como Apple TV, Google Play, Vivo Play e Youtube Premium.  

A difusão dos filmes contará com a parceria com o Mubi, streaming focado em filmes de arte, e o Videocamp, plataforma que oferece sessões sob demanda em locais não aportados pela distribuição formal de cinema. Sugestões dos títulos também serão feitas pelo Filmmelier.   

A Sessão Vitrine firmou ainda uma parceria com a BR Lab e o Canal Brasil para produção de um longa-metragem de realizador iniciante que será aportado desde a pré-produção até distribuição, mediante inscrição no Programa Novos Clássicos do Cinema Brasileiro. O projeto contemplado neste ano foi “As Criadas”, de Carolina Rodrigues.

Nome importante na promoção do cinema brasileiro, a Vitrine Filmes demonstra resiliência, compromisso e sagacidade na luta por expandir a produção e, principalmente, a distribuição de obras que contenham novas vozes criativas.

 

Para conferir mais detalhes, entre no site da Vitrine Filmes.

Veja Também:

No Ritmo do Coração é o grande vencedor do Oscar 2022; confira a lista completa

O Oscar 2022 chegou marcado por polêmicas, frutos da reformulação da premiação a fim de tentar recuperar índices de audiência....

LEIA MAIS

Como o som de “Duna” foi feito

Ao assistirmos um filme, nem imaginamos o gigantesco trabalho de inúmeros profissionais para construir um arcabouço imagético e sonoro que...

LEIA MAIS

Ataque dos Cães e Belfast conquistam prêmios principais do Bafta 2022

Após a realização de uma edição totalmente virtual em 2021, o Bafta, maior premiação de cinema do Reino Unido, retornou...

LEIA MAIS