O júri presidido por Lúcia Murat consagrou “Tinta Bruta” como melhor filme exibido no Festival de Cinema Internacional do Rio. O longa-metragem de Marcio Reolon e Filipe Matzmbacher ganhou, além da categoria principal, também os prêmios de melhor roteiro, melhor ator (Shico Mengat) e melhor ator coadjuvante (Bruno Fernandes).

A trama acompanha a jornada de Pedro, um jovem que tem que lidar com a solidão da partida da irmã, além de enfrentar um processo criminal. Ele lida com as questões realizando performances no seu quarto, onde dança pintado para um público que o acompanha por sua webcam. Ao descobrir que outro rapaz tem imitado suas apresentações, ele decide confrontá-lo. “Tinta Bruta” teve sua estreia mundial no Festival de Berlim, onde foi laureado com o Teddy Awards.

O Redentor de melhor documentário foi para “Torre das Donzelas”, de Susanna Lira, que retrata as agruras das presas políticas mantidas no Presídio Tiradentes durante a Ditadura Militar – entre elas, a ex-presidente Dilma Rousseff.

 

Confira a lista completa de vencedores

 

PRÊMIOS DO JÚRI

 

Melhor longa-metragem de ficção: “Tinta Bruta”, de Marcio Reolon e Filipe Matzmbacher

 

Melhor longa-metragem de documentário: “Torre das Donzelas”, de Susanna Lira

 

Melhor direção de documentário: “Torre das Donzelas”

 

Melhor direção de longa-metragem de ficção: “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”

 

Melhor ator: Shico Menegat, por “Tinta Bruta” e Valmir do Côco por “Azougue Nazaré”

 

Melhor atriz: Itala Nandi, por “Domingo”

 

Melhor atriz coadjuvante: Eliane Giardini, por “Deslembro”

 

Melhor ator coadjuvante: Bruno Fernandes, por “Tinta Bruta”

 

Melhor Roteiro: “Tinta Bruta”

 

Melhor Fotografia: “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”

 

Melhor montagem: “Azougue Nazaré”

 

Prêmio especial do Júri: “Azougue Nazaré”

 

Melhor curta-metragem: “O Órfão”, de Carolina Markowicz

 

Equipe de “Tinta Bruta” posa com Redentores

 

VOTO POPULAR

 

Melhor longa-metragem de ficção: “Deslembro”, de Flávia Castro

 

Melhor curta-metragem: “Você Não me Conhece”, de Rodrigo Séllos

 

Melhor longa-metragem documentário – Prêmio de Mídia Canal Curta: “Torre das Donzelas”

 

MOSTRA NOVOS RUMOS

 

Melhor filme: “Ilha”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio

 

Melhor curta-metragem: “Lembra”, de Leonardo Martinelli

 

Prêmio especial do júri: “Inferninho”, de Guto Parente e Pedro Diogenes

 

PRÊMIO FELIX 2018

 

Prêmio especial do júri: “Inferninho”, de Guto Parente de Pedro Diogenes

 

Melhor longa-metragem de ficção: “Sócrates”, de Alex Moratto

 

Melhor longa-metragem documental: “Obscuro Barroco”, de Evangelia Kranioti

 

PRÊMIO MOSTRA GERAÇÃO: “Shade – Entre Bruxas e Heróis”, de Rasko Milijkovic

 

PRÊMIO FIPRESCI: “Deslembro”, de Flávia Castro

 

TROFÉU SUZY CAPÓ: Saulo Amorim, presidente nacional da Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas

Veja Também:

No Ritmo do Coração é o grande vencedor do Oscar 2022; confira a lista completa

O Oscar 2022 chegou marcado por polêmicas, frutos da reformulação da premiação a fim de tentar recuperar índices de audiência....

LEIA MAIS

Como o som de “Duna” foi feito

Ao assistirmos um filme, nem imaginamos o gigantesco trabalho de inúmeros profissionais para construir um arcabouço imagético e sonoro que...

LEIA MAIS

Ataque dos Cães e Belfast conquistam prêmios principais do Bafta 2022

Após a realização de uma edição totalmente virtual em 2021, o Bafta, maior premiação de cinema do Reino Unido, retornou...

LEIA MAIS